Quais as principais diferenças entre a gestão de um síndico um administrador profissional e uma administradora de condomínios

Por Carla Larrossa

Gestão caseira ou terceirizada, um gestor mais próximo ou uma empresa especializada?

Assim como tudo na vida, um condomínio também precisa de organização. A rotina de um condomínio vai além do entra e sai de moradores ou visitantes.

O controle dos serviços está cada vez mais informatizado. E atualmente a maneira de administrar um condomínio está tornando-se cada vez mais parecida com o gerenciamento de uma empresa.

E existem algumas diferenças na gestão feita por um síndico, um administrador profissional e uma administradora de condomínio. Para perceber quais são as diferenças e os principais pontos de gestão feita por um síndico, um administrador profissional e uma administradora de condomínio.

A gestão de um síndico

O síndico é o morador eleito para representar o condomínio. É o representante, ‘a voz’ do condomínio e dos condôminos. Ainda que muitos considerem que a função de um síndico é tarefa simples, poucos sabem que ele responde, civil e criminalmente, pelo condomínio.

Normalmente a única remuneração de um síndico é a isenção da taxa de condomínio.

A gestão de um síndico baseia-se em:

  • Convocar assembleias;
  • Desempenhar as obrigações impostas pelo Código Civil;
  • Representar o condomínio legalmente;
  • Zelar pela conservação das áreas comuns, pela ordem no condomínio e pela prestação de serviços;
  • Arrecadar as cotas do condomínio;
  • Prestar contas a assembleia e fazer cumprir todas as determinações;
  • Intermediar conflitos e sempre visar o bem pensando no coletivo.

Boa parte da gestão de um síndico é exigir que as regras de convivência do condomínio sejam respeitadas.

A gestão de um administrador profissional

Para ser administrador de condomínio é necessário ter curso profissionalizante em Administração de Condomínio.

Um administrador profissional irá fazer sua gestão com profissionalismo, pois é responsável por gerir e atender as demandas do condomínio que administra.

A gestão de um administrador de condomínios destaca-se por:

  • Conhecimento na legislação e na Convenção do Condomínio;
  • Gerenciamento de funcionários;
  • Administração financeira;
  • Negociação com fornecedores e prestadores de serviço;
  • Valorização do patrimônio;
  • Prestação de contas;
  • Elaborar folha de pagamento;
  • Pagamento de contas e encargos do condomínio.

A função de um administrador de condomínios é solucionar problemas administrativos, jurídicos e financeiros, além de manutenção do condomínio.

A gestão de uma administradora de condomínios

Uma administradora de condomínios dará um suporte administrativo ao síndico. As responsabilidades de uma administradora de condomínios são:

  • Movimentação financeira do condomínio;
  • Elaboração das prestações de conta;
  • Elaboração das folhas de pagamento, escala de folgas, encargos sócias;
  • Gerenciamento do departamento de pessoal;
  • Assistência jurídica;
  • Ter um representante nas assembleias;
  • Implantação do sistema de segurança.

Entre outras obrigações, a administradora de condomínio deverá arquivar organizar e controlar e manter atualizada uma série de documentação como:

  • CNPJ do condomínio;
  • Seguro obrigatório;
  • Plantas do condomínio;
  • Livro de atas;
  • Cadastro dos proprietários e inquilinos;
  • Pastas com as despesas e receitas dos condomínios, referente aos últimos cinco anos.

Uma administradora de condomínios evita que ocorram erros na administração e equívocos na gerência que acabam gerando prejuízos financeiros.

Agora que você já conhece quais são as principais diferenças entre um condomínio administrado por um síndico, um administrador profissional e uma administradora de condomínio, você deve fazer uma análise do que é melhor para o seu condomínio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *