Controlando o consumo de água no condomínio

como controlar consumo de água em condominios

Por Lucas

A água é um recurso essencial à vida. Sendo assim, a sociedade, de forma geral, é ciente da importância de controlar o seu consumo e evitar seu desperdício. No entanto, em um condomínio convivem várias pessoas com formas particulares de pensar, não necessariamente todas elas conscientes da necessidade de observar o uso que fazem desse bem natural tão precioso. Por isso, é necessário estabelecer algumas regras e tomar medidas para que não haja uso abusivo, assim como maiores gastos.

Um medida bastante eficiente é instalar hidrômetros para medir o consumo individual em cada apartamento. Boa parte dos prédios que realizaram a instalação relatam um significativo aumento na economia de água no condomínio.

Em locais com sistema hidráulico unificado, o consumo é medido de forma coletiva e o custo é dividido entre os moradores. Entretanto dessa forma não é possível saber quem consumiu mais ou quem economizou, o que pode gerar conflitos em relação a cobrança. A medição individual estimula os moradores a economizarem água, justamente por seu abuso afetar diretamente as finanças.

O preço dos hidrômetros teve uma queda, o que facilitou muito a sua adesão em condomínios. Já o custo da instalação pode variar de acordo com as condições do condomínio. Prédios mais novos normalmente já são construídos preparados para a individualização, o que reduz bastante os custos. Já os mais antigos geralmente não são preparados para este tipo de mudança e a instalação acaba sendo mais cara. Mesmo assim, o investimento acaba se pagando com o passar do tempo.

A melhor forma de diminuir os custos é através da conscientização dos moradores. É também papel do síndico ajudar nesse processo. Algumas maneiras possíveis e baratas de fazer isso é colocar cartazes ou distribuir panfletos com informações sobre economia de água e seus benefícios.

Peça aos moradores que fiquem atentos a problemas como vazamentos e torneiras pingando. Outros cuidados fáceis de colocar em prática são nunca levar mais de 15 minutos no banho, fechar a torneira ao fazer a barba ou escovar os dentes e evitar utilizar máquinas de lavar roupas e louças com a capacidade máxima.

As reuniões de condomínio são um dos meios possíveis para ajudar no processo de conscientização. O síndico deve apresentar aos moradores a proposta de instalar hidrômetros de consumo individual, mostrando as vantagens.

Com a conscientização das pessoas sobre a importância da economia no consumo de água, a procura por medidores individuais aumentou consideravelmente. Quando o morador começa a tomar consciência de quanto gasta por mês ele pode rever os seus hábitos para ver onde está ocorrendo o desperdício e podendo até descobrir algum vazamento até então desconhecido.

Gestão de condomínio focada no futuro

plano gestão de condominio futuro

Por Lucas

 

Na gestão condominial normalmente leva-se em consideração a situação atual do condomínio – se precisa de melhorias, gastos, entre outras questões. No entanto, um erro muito comum feito pelos administradores é pensar apenas no presente. Uma gestão eficiente deveria considerar o futuro, com melhorias a longo prazo ou até planejamentos considerando possíveis imprevistos. Administrar o condomínio pensando no futuro pode trazer muitos benefícios, principalmente na parte financeira.

Desenvolvendo um plano de ação

Um condomínio é como uma aventura e planejando é algo essencial para administradores de condomínio que estão sempre procurando aperfeiçoamento ou apenas manter a ordem. O primeiro passo é preparar um plano de ação.

Esse plano de ação deve ser aprovado pelos condôminos para assegurar a prioridade da maioria, evitando que projetos sejam barrados por questionamentos pessoais ou até interesses políticos. Tudo o que é previsto no plano deve ser executado, a não ser que ocorram mudanças estabelecidas em assembleia.

Uma boa gestão focada no futuro traz apenas bons benefícios para todos no condomínio e evita vários problemas como, por exemplo, interrompimentos repentinos nos trabalhos e mudanças bruscas na administração por um novo profissional que não conhece os planos e estratégias de seu antecessor.

O que deve ser planejado

Antes de começar o plano, é sempre bom ter documentos e informações a mão que poderão auxiliar em sua elaboração, como contratos, planos e contas. Uma das prioridades ao definir um plano de ação é a manutenção, para garantir que tudo está funcionando adequadamente. Também prepare uma manutenção preventiva para evitar imprevistos e mais gastos no futuro.

Planejamento financeiro deveria ser feito considerando todas as despesas e renda, mas sempre considerando possíveis imprevistos como, por exemplo, falta de pagamento por parte de algum morador ou gastos por questões trabalhistas.

Seria bom manter um cronograma de reuniões com os comitês e conselhos, por exemplo. Todo o plano deve ser elaborado de acordo com a convenção e regras internas do condomínio, sem esquecer do que rege a lei para evitar gastos com taxas e multas.

Desenvolva um plano possível dentro do prazo determinado. Além de facilitar todo o processo com objetivos bem definidos, você pode ainda valorizar seu trabalho como síndico e trazer ótimos benefícios para o condomínio.

Administração de condomínio

administração_de_condomínio

Por Lucas

A administração de um condomínio tem grandes semelhanças com as de outros tipos de empresas, seja no quesito administração ou gerenciamento.

Para administrar um condomínio é preciso ser pessoa jurídica? Não, pois não há restrições para que pessoas físicas exerçam esse trabalho. Desde que haja organização e uma boa equipe, a pessoa poderá cuidar de toda a administração sem nenhum problema.

Caso seja necessário, a pessoa poderá contratar um administrador autônomo para auxiliar na administração do seu empreendimento. Pesquise bastante e busque referências de um bom profissional que tenha competência para realizar esse tipo de trabalho em condomínios. O administrador de um condomínio deve ser o braço direito do síndico e manter a organização em vários setores. É necessário saber lidar com o público e com uma série de cobranças, por isso é bom ter mente aberta e ser uma pessoa bastante flexível.

Em condomínios menores, muitas vezes não há um administrador de condomínio e o síndico acaba tendo que fazer todo o trabalho, porém, chega uma hora em que as responsabilidades são muitas e chega a hora de começar a pensar na possibilidade de contratar um administrador para o condomínio. A melhor hora é quando a demanda de trabalhos e responsabilidades for alta e a administração precisar de um controle maior.